A PROPÓSITO DA ABORDAGEM 'LOW-COST'

O site americano PPS (Project for Public Places) publicou um artigo interessante sobre iniciativas urbanas em momentos de crise e que pode ser inspirador para a nossa realidade.

O conceito designa-se por LQC - 'Lighter, Quicker, Cheaper: A Low-cost, High-Impact Approach' (http://www.pps.org/tag/lqc/) e é baseado nos princípios de trabalho incremental (pequenos passos graduais), envolvendo os talentos locais (cidadãos, empreendedores, promotores & autarquias), usando experiências de baixo custo e de escala micro-local numa variedade de ambientes (ruas, praças, frentes ribeirinhas, lotes devolutos).

Um dos vários aspectos relevantes dessa abordagem é que ela consubstancia uma dinâmica de acção local (não obrigatoriamente liderada pela autarquia), que pretende mobilizar o capital social, intelectual, económico e institucional à volta de uma agenda local e de uma visão de futuro.

Na mesma linha de reflexão, ‎Jaime Lerner avança com o conceito de ‘acupunctura urbana’, um conjunto de acções cirúrgicas pontuais que devem procurar contribuir para o ‘equilíbrio vital das cidades, dando prioridade à sua vivência social e animação económica’ e, ao mesmo tempo, ajudar a promover o conceito de ‘cidade compacta’.

O interesse desta abordagem está relacionado com a sua geometria variável já que é possível concebê-la em projectos de micro-escala – recuperação de edifícios devolutos com programas funcionais inovadores – ou em iniciativas de grande escala – ‘projectos urbanos’.

O autor refere que existem alguns atributos indispensáveis para que estas iniciativas resultem: ‘uma sólida base técnica, sensibilidade para os problemas urbanos, sentido colectivo para encontrar soluções, intuição para orientar as acções, capacidade de síntese para transmitir as propostas, habilidade mediática para comunicar as mensagens e, sobretudo, vontade e liderança política’ (Acupunctura Urbana, Lerner, J, 2005).


publicado por JCM às 00:15 | comentar | favorito